Merielen

26 setembro, 2007

A verdade esta na cara.....

Infelizmente preciso concordar com ele e digo mais... Enquanto as pessoas continuarem achando que saber mexer no Orkut é sinônimo de sabedoria, este país vai continuar perdido! Enquanto as pessoas acharem que ler "Diário Gaúcho" é se informar, este estado vai continuar perdido! Será que este país tem jeito? Até quando a grande massa vai ser tão passivas? Até quando vamos continuar vivendo nas sombras?

P.S.: Quem me conhece sabe que eu trabalho com Teste de Software, e aquela famosa frase (pelo menos para quem trabalha com testes) "Em Deus a gente confia, o resto a gente testa" se aplica para mim em quase todas as outras áreas da minha vida. Por isto, fiz o teste... Descobrir se o texto era mesmo do Arnaldo Jabor! Buenas, além de não conseguir confirmar, me deparei com um monte de gente com a mesmo dúvida... Como fiquei na dúvida, achei melhor deixá-lo assim como recebi!


A verdade esta na cara.....


(Arnaldo Jabor)

Brasileiro é um povo solidário. Mentira.

Brasileiro é babaca. Eleger para o cargo mais importante do Estado um sujeito que não tem escolaridade e preparo nem para ser gari, só porque tem uma história de vida sofrida; pagar 40% de sua renda em tributos e ainda dar esmola para pobre na rua ao invés de cobrar do governo uma solução para pobreza; aceitar que ONG's de direitos humanos fiquem dando pitaco na forma como tratamos nossa criminalidade... Não protestar cada vez que o governo compra colchões para presidiários que queimaram os deles de propósito, não é coisa de gente solidária. É coisa de gente otária.

Brasileiro é um povo alegre. Mentira.

Brasileiro é bobalhão. Fazer piadinha com as imundices que acompanhamos todo dia é o mesmo que tomar bofetada na cara e dar risada. Depois de um massacre que durou quatro dias em São Paulo, ouvir o José Simão fazer piadinha a respeito e achar graça, é o mesmo que contar piada no enterro do pai. Brasileiro tem um sério problema. Quando surge um escândalo, ao invés de protestar e tomar providências como cidadão, ri feito bobo.

Brasileiro é um povo trabalhador. Mentira.

Brasileiro é vagabundo por excelência. O brasileiro tenta se enganar, fingindo que os políticos que ocupam cargos públicos no país, surgiram de Marte e pousaram em seus cargos, quando na verdade, são oriundos do povo. O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado ao ver um deputado receber 20 mil por mês, para trabalhar 3 dias e coçar o saco o resto da semana, também sente inveja e sabe - lá no fundo- que se estivesse no lugar dele faria o mesmo. Um povo que se conforma em receber uma esmola do governo de 90 reais mensais para não fazer nada e não aproveita isso para alavancar sua vida (realidade da brutal maioria dos beneficiários do bolsa família) não pode ser adjetivado de outra coisa que não de vagabundo.

Brasileiro é um povo honesto. Mentira.

Já foi; hoje é uma qualidade em baixa. Se você oferecer 50 Euros a um policial europeu para ele não te autuar, provavelmente irá preso. Não por medo de ser pego, mas porque ele sabe ser errado aceitar propinas. O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado com o mensalão, pensa intimamente o que faria se arrumasse uma boquinha dessas, quando na realidade isso sequer deveria passar por sua cabeça.

90% de quem vive na favela é gente honesta e trabalhadora. Mentira.

Já foi. Historicamente, as favelas se iniciaram nos morros cariocas quando os negros e mulatos retornando da Guerra do Paraguai ali se instalaram. Naquela época quem morava lá era gente honesta, que não tinha outra alternativa, e não concordava com o crime. Hoje a realidade é diferente. Muito pai de família sonha que o filho seja aceito como 'aviãozinho' do tráfico para ganhar uma grana legal. Se a maioria da favela fosse honesta, já teriam existido condições de se tocar os bandidos de lá para fora, porque podem matar 2 ou 3, mas não milhares de pessoas. Além disso, cooperariam com a polícia na identificação de criminosos, inibindo-os de montar suas bases de operação nas favelas.

O Brasil é um país democrático. Mentira.

Num país democrático a vontade da maioria é Lei. A maioria do povo acha que bandido bom é bandido morto, mas sucumbe a uma minoria barulhenta que se apressa em dizer que um bandido que foi morto numa troca de tiros, foi executado friamente. Num país onde todos têm direitos, mas ninguém tem obrigações, não existe democracia e sim, anarquia. Num país em que a maioria sucumbe bovinamente ante uma minoria barulhenta, não existe democracia, mas um simulacro hipócrita. Se tirarmos o pano do politicamente correto veremos que vivemos numa sociedade feudal: um rei que detém o poder central (presidente e suas MPs), seguido de duques, condes, arquiduques e senhores feudais (ministros, senadores, deputados, prefeitos, vereadores). Todos sustentados pelo povo que paga tributos que tem como único fim, o pagamento dos privilégios do poder. E ainda somos obrigados a votar. Democracia isso? Pense nisso!

O famoso jeitinho brasileiro. Na minha opinião um dos maiores responsáveis pelo caos que se tornou a política brasileira.

Brasileiro se acha malandro, muito esperto. Faz um 'gato' puxando a TV a cabo do vizinho e acha que está botando pra quebrar. No outro dia o caixa da padaria erra no troco e devolve 6 reais a mais, caramba, silenciosamente ele sai de lá com a felicidade de ter ganhado na loto... malandrões, esquecem que pagam a maior taxa de juros do planeta e o retorno é zero. Zero saúde, zero emprego, zero educação, mas e daí? Afinal somos penta campeões do mundo né? Grande coisa... O Brasil é o país do futuro. Caramba, meu avô dizia isso em 1950. Muitas vezes cheguei a imaginar em como seria a indignação e revolta dos meus avós se ainda estivessem vivos. Dessa vergonha eles se safaram... Brasil, o país do futuro!? Hoje o futuro chegou e tivemos uma das piores taxas de crescimento do mundo.

Deus é brasileiro.

Puxa, essa eu não vou nem comentar... O que me deixa mais triste e inconformado é ver todos os dias nos jornais a manchete da vitória do governo mais sujo já visto em toda a história brasileira.

Para finalizar tiro minha conclusão: O brasileiro merece!

Como diz o ditado popular, é igual mulher de malandro, gosta de apanhar. Se você não é como o exemplo de brasileiro citado nesse e-mail, meus sentimentos amigo, continue fazendo sua parte, e que um dia pessoas de bem assumam o controle do país novamente. Aí sim, teremos todas as chances de ser a maior potência do planeta. Afinal aqui não tem terremoto, tsunami nem furacão. Temos petróleo, álcool, bio-diesel, e sem dúvida nenhuma o mais importante: Água doce!

Só falta boa vontade, será que é tão difícil assim?

13 setembro, 2007

Homenagem a DENIS, O GUERREIRO....

Denis era uma criança doce, meiga e linda... Eu adorava beijar aquelas bochechas macias e apertar aquelas mãozinhas fofas, cócegas na barriga dele eu não podia fazer, nem apertá-lo muito por causa do cateter...

Aos cinco anos de idade, Denis morava com sua mãe que era separada do seu pai, ela freqüentava uma destas igrejas da "moda" e a impressão que temos é que fizeram uma lavagem cerebral nela num destes cultos... Nesta noite, os dois estavam a sós... Gritos foram ouvidos, uma cena estarrecedora se apresentou... Lá estava o pequeno Denis sobre a cama, todo ensangüentado, teve a barriga aberta com uma faca de cozinha por sua mãe que caminha envolta da casa com a bíblia na mãe repetindo "Foi Deus que quis assim".

O socorro foi chamado, o menino foi salvo, mas infelizmente, seu intestino ficou na pia, confundiram com "salsichões" e lá ficou não podendo ser recolocado... Aí começa a luta do menino guerreiro...

Foram várias cirurgias, incontáveis picadas de agulhas, medicamentos, incertezas, dúvidas, revolta, comoção, noites e dias de martírio para as duas famílias e para os amigos. E o Denis? Bom, nem parecia que era com ele que estava acontecendo tudo aquilo. Embora tivesse consciência de tudo que estava se passando, afinal ele ficou consciente o tempo todo, desde os golpes de faca até chegar ao hospital, o guri não desanimava.

Passado o primeiro grande susto, veio a má notícia... Na época ainda não existia transplante de intestino. Procurei me informar com vários médicos e fiquei sabendo que até aquele momento só haviam tentado o transplante em animais e ainda não tinham obtido sucesso... Ninguém achava que ele iria durar muito mesmo, alguns até diziam que seria melhor ele morrer logo... Que morrer que nada, o guri tinha uma sede de vida e um bom humor que faz qualquer retardado que possui tudo na vida e vive reclamando sem olhar para os lados se sentir um completo idiota, o que de fato muitas pessoas são.

O que parecia impossível estava acontecendo, ele estava se recuperando... E também não poderia ser diferente, ao contrário de muito pequenos que são abandonados no hospital, Denis tinha seu pai que abriu mão de tudo para cuidar dele, também sua vó materna. Eles se revezavam com os cuidados... Mesmo que isto significasse ficar mais de 12 horas sem comer, não ter dinheiro para a passagem já que o hospital ficava em outra cidade, dormir sentado em poltronas, ver os coleguinhas do Denis morrerem um a um... Torcendo para que a situação dele se resolvesse logo, que um milagre acontecesse para que o nosso guerreiro pudesse ficar entre nós....

É muita crueldade, o teatro de horrores não pára por aí. Quando se vive nesta situação se aprende que o mundo e as pessoas podem ser muito cruéis... Assim como o Denis, outras crianças estavam lá porque precisavam de cuidados especiais... Algumas como o pequeno guerreiro tinham suas famílias, outras eram simplesmente abandonadas lá. É sim, abandonadas, a menina que sofreu um acidente e ficou em estado vegetativo que a mãe nunca mais foi ver, as crianças que são abandonadas à própria sorte ao nascerem, quando não são atiradas em latas de lixo...

Talvez por isto ele tivesse tanta sede de viver, pois apesar de tudo, ele tinha o amor incondicional de seu pai e de sua avó. Sem contar todo o amor que recebia dos demais familiares, amigos e equipe do hospital. E ele foi sim, muito amado, muito querido e muito admirado por ser tão pequeno e tão forte.

O pequeno guerreiro lutava diariamente contra a dor, infecções que insistiam em aparecer, vômitos, diarréias, febres e mal-estares quase que diários. Quanto adulto se borra de medo de injeções? Só Deus sabe quantas ele teve que levar, mas mesmo assim sempre tinha um sorriso no rosto. Como diz a avó dele, ele fervia pelos corredores do hospital, tinha um senso de humor inigualável... Era como toda criança deve ser... Sapeca, levado, brincalhão, adorava brincar, passear com o pai dele... Ah o pai dele, este era seu herói... Sabe aquela história, filho de peixe, peixinho é? Então, eles eram assim, Denílson é o maior brincalhão, impossível não dar boas risadas ao lado dele... Não foram sós as características físicas que o Denis herdou dele, o senso de humor também.

Tenho certeza que os dois aprenderam muito um com o outro, o Denis pode saborear o doce sabor do amor incondicional, já o Denílson aprendeu que jamais devemos desistir, por mais difícil, distante e inalcançável que pareça o que queremos... Não apenas ele, todos nós que convivíamos com este pequeno guerreiro. Todos nós que tivemos o privilégio de ter o Denis por perto!

Após 6 anos, a luta continuava, vovó Marlene e papai Denílson sempre lutando com aquela criança tão cheia de vontade de viver... O governo já havia liberado a verba para a alimentação especial que ele precisava, seu quarto estava sendo reformado para poder recebê-lo... Denis já estava indo há uns dois anos para a escola... Enfim, tudo indicava que logo teríamos a companhia daquele pequeno guerreiro por mais tempo, já que ele vinha para casa só nos finais de semana e se estivesse em condições.

Fico toda besta quando lembro que ele perguntava por mim quando estava em casa “A Meri já veio aqui hoje?”... O sentimento era mútuo, eu o adorava... Ficava às vezes olhando para ele e pensando em tudo que ele já tinha passado e mesmo assim tinha aquele sorriso fácil, gratuito... Tinha um jeitinho tão lindinho de caminhar, uma carinha tão sapeca... E aquelas mãozinhas tão lindas... Algumas vezes ele ficava com vergonha de mim, aí era um sacrifício conseguir beijar aquelas bochechas lindas... Caramba, eu nunca vi ele reclamando de nada... “Oi Denis, tudo bem contigo?”... “Tudo bem” era a resposta que eu tinha, seguida por um lindo sorriso envergonhado....

Esta semana porém, outra infecção o atacou, só que desta vez não era como as outras, ele começou a ficar inchado e sentir muita dor... Na manhã de ontem, no auge da dor, ele nos deixou... Mas lutou até o último minuto... Dizia para o pai “Pai me ajuda, eu não quero morrer, eu quero ficar”... Mas infelizmente ele se foi, deixando para trás toda dor e sofrimento, levando consigo a certeza de que foi amado e querido além das forças de um ser humano.

Que droga de mundo é este? Um filme passou pela minha cabeça, lembrei da minha sobrinha que deixaram morrer no hospital da cidade onde moramos. É muito injusto! É cruel demais, é uma dor inenarrável! Me faltam as palavras e me sobram dor e indignação... Ver meu amigo sofrer daquele jeito me perguntando “E agora Meri, o que eu vou fazer?”... Tomar conhecimento da contagem macabra que avó dele fez... “Nestes seis anos, vi mais de 50 crianças morrerem dentro do hospital”... Mas que porra é esta? Por que uma criança tem que morrer de câncer? Por que uma criança é atropelada, fica em estado vegetativo e ainda é abandonada pela mãe? Por que o Denis teve que passar por isto? Pela segunda vez em minha vida, tenho milhões de perguntas e nenhuma resposta!

Bom, não tenho respostas, mas tenho muitas boas recordações e belos exemplos deixados por este pequeno grande guerreiro chamado Denis! Desistir? Nunca, jamais, em tempo algum!

Se existe realmente vida após a morte, ou melhor, se estar “encarnado” é realmente um estágio da vida, tenho certeza absoluta que Deus reservou um lugar muito especial para o nosso pequeno guerreiro Denis! Talvez por isto eu tenha dito ao me despedir... “A gente se encontra depois”! Denis agora está brincado... puxando as barbas de Deus!


05 setembro, 2007

Free Katy




Estou aderindo a campanh "Free Katy", foi muita injustiça o que fizeram...
Maiores detalhes: http://www.verbeat.org/blogs/stuckinsac/arquivos/2007/09/cade-o-bophysca.html

04 setembro, 2007

Selena...

Of course, ela não poderia faltar...

Buenas, sou simplesmente fanática por ela e não há palavras que possam descrever o tamanho do amor que sinto pela Sel!

Achei alguns links interessantes sobre ela:



Besitos ;-)