Merielen

29 outubro, 2007

Quer falar outro idioma? [4ª Parte]


Depois de muito esforço estudo e persistência, cheguei num nível em que o que mais me faltava era vocabulário, isto é, conseguia me comunicar bem, porém para algumas palavras me faltava saber todos os seus significados, quando e como utilizá-las, volto aos dois exemplinhos “Get” e “Take”... E o que dizer dos verbos frasais, ou “Phrasal Verbs”? Estes sim deixam qualquer um doido... Huahuahauaha!!!!
Buenas, o site
Answer é uma boa dica para quem já tem um bom entendimento do idioma inglês, lá podemos procurar os tantos significados de palavrinhas cabeludas como as citadas acima.
Já para Phrasal Verbs, indico o dicionário de verbos frasais do site Englsih Page. O negócio para os verbos frasais, assim como para todo o resto é praticar. Pouco importa se no começo sair algo errado, seja o sentido, o significado ou até mesmo a pronúncia... Só se vai aprender praticando.
Falando em pronúncia, há um site muito bacana com textos para ler e ouvir, depois exercícios bem legais para treinarmos, os site divide os conteúdos por tema, o que nos dá bastante opções para focarmos o nosso aprendizado naquilo que queremos... O site é o
CDLP On Line. Dica quentíssima!!!
Outros links:

26 outubro, 2007

Quer falar outro idioma? [3ª Parte]


Amigos Virtuais... English Speakers

Depois de entrar em todos os grupos possíveis e imagináveis sobre Inglês no Yahoo Grupos, acabei conhecendo um monte de gente e trocando muitas figurinhas. E embora pareça que todo mundo quer aprender só Inglês ou Espanhol, há bastante gente querendo aprender Português... Principalmente quem tem negócios no Brasil, é casado (a) com brasileiros (as), ou simplesmente adora este lugar e quer vir para cá e se comunicar bem.

Quando estamos nestes grupos, muitas vezes parece que estamos entrando em uma família. Acabamos nos identificando mais com alguns membros e por fim acaba nascendo uma certa amizade, aí começa aquela estória de mandar e-mail diretamente para a pessoa, adicionar no
MSN, etc... E foi assim, fazendo amizade com estas pessoas que começou uma outra etapa importante do meu aprendizado.
As pessoas que não falam Português e querem aprendê-lo geralmente são as melhores para conversarmos, afinal, estão na mesma situação que a gente... Aprendendo! Aí conversar com estes se torna uma aula muito engraçada... Eu fazia o seguinte com meus amigos virtuais que estavam aprendendo nosso idioma... Combinava com eles que eu escreveria em Inglês e eles corrigiriam meus erros, e eles escreveriam em Português e eu faria o mesmo por eles. Quando estava na casa da minha amiga Renata, ainda tinha webcam e microfone. Aí era para morrer de rir... Tanto eles riam dos meus erros quanto eu ria dos erros deles. Mas com muito respeito é claro, é que a gente se sente mais á vontade, já que estamos todos aprendendo... É muito engraçado e uma bela lição de paciência e compaixão ouvi-los dizer coisas do tipo “Eu querer morar no Brasil”, do mesmo jeito que deve ter sido hilariante para eles escutarem coisas do tipo “She have a dog”. É algo bem gratificante, pois não ficamos travados e com vergonha de errar, de ser julgados ou ridicularizados por não sabermos bem o idioma ainda.
Após alguns meses fazendo isto já me sentia bem mais á vontade para falar in English, então alguns amigos e amigas começaram a me pedir o meu número de telefone, para que eu pudesse treinar sem nenhum tipo de recurso para auxiliar por perto, ou seja, eu ia ter que falar, sem tempo de olhar no dicionário on line alguma palavra que eu não tivesse entendido... Huahauahuahauhaua!!! Bem, para quem quiser tentar isto a dica é, depois de dizer “Hi”, peça para que a pessoa fale devagar e auto, pois dependendo do seu nível de Inglês talvez seja bem difícil entender o que eles falam. Não eles não falam muito rápido, nós é que não estamos habituados, ainda não dominamos a língua... Eles também acham que a gente fala em Português muito rápido... No começo a frase que eu mais dizia era “Could you repeat again?” (Você pode repetir?)... LOL!

Outra coisa que eu adorava fazer quando falava com alguém no
MSN, era escrever determinada palavra, que eu sabia escrever, sabia o significado, mas não tinha a mínima idéia de como pronunciar. Aí eu mandava a palavra e pedia que a pessoa do outro lado pronunciasse para mim... Então eu tentava o mesmo, até aprender, depois fazia frases com a palavra e a pessoa corrigia minha pronuncia...

A grande questão aqui é não ter medo, arriscar-se, meter a cara e dane-se se sair algo errado ou se alguém vai rir se as palavras não saírem exatamente como deveria ser, afinal quem está abordo da nave mãe chamada Terra, está aqui para aprender... Não apenas outro idioma, há tanto para ser aprendido... Então, relaxa e segue em frente!

25 outubro, 2007

Quer falar outro idioma? [2ª Parte]


Grupos e Fóruns

Ok, lá estava eu fazendo curso de Inglês, lendo tudo que encontrava sobre a Selena com a ajuda dos tradutores on line e tals. Só que me aborrecia certas traduções, como por exemplo, “Selena’s fan” que quer dizer “Fã da Selena” era traduzido como “Ventilador de Selena”, ah fala sério... Decidi pedir ajuda. Mas as dúvidas eram tantas que a professora se limitava a responder apenas algumas das minhas perguntas, pois se respondesse todas, não teríamos aula... hauhauhauahua!!!

Então eu tive a “brilhante” idéia de procurar no
Yahoo Grupos, algo relacionado a aprender Inglês e Português, se tinha vários grupos sobre a Selena, com certeza teria sobre English and Portuguse... Achei diversos grupos sobre o assunto. Entrei em todos que encontrei... Acabei criando um problema, pois tinha dias que eu recebia mais de 500 mensagens por dia. Então decidi continuar sócia de todos, mas lia as mensagens diretamente no site dos grupos, selecionando o que me interessava, continuei recebendo mensagens somente de um deles.

Estes grupos são uma bela fonte de aprendizado, rolam muitas dicas, arquivos em pdf com lições da língua que se está aprendendo, dúvidas e mais dúvidas de outros membros que acabam por sanar nossas próprias dúvidas... Sem contar que se faz muitas amizades... mas isto é assunto para o próximo post... Ah, também rola algumas baixarias de vez em quando... hauhauahuahauauh!!! Mas abstrair faz parte do aprendizado... LOL!

Além do
Yahoo Grupos existem fóruns, diversos fóruns sobre o assunto. Há tanta gente com dúvida e tanta gente querendo ajudar. No meu caso, estou aprendendo Inglês, um dos fóruns mais bacanas que eu freqüento é o EMB do site English Made in Brazil. Vale a pena conferir.

Grupos do Yahoo Sobre Inglês:
Englishportuguese
Estudaringles
Englishexperts
AmericanAccentTraining
EnglishMates
Englsihportuguesehelp

24 outubro, 2007

Quer falar outro idioma? [1ª Parte]

Idiomas! Quem não conhece alguma palavra em outro idioma? Muitos se interessam por de fato aprender outra língua e o fazem com tamanha dedicação. Outros tremem só de pensar na quantidade de “y” e “w” que existe no Inglês, ou então na grafia do Chinês, na pronúncia do Árabe... E assim por diante.

Para falar outro idioma, é preciso muito mais que fazer um curso, pois duas aulas de uma hora e meia por dia, não vão te ensinar tudo que precisas aprender. Dedicação é fundamental. Digo por experiência própria. Fiz um curso de Inglês de 8 semestres, ou seja, 4 anos e garanto que ainda tenho muito para aprender. Mas aprendi bastante, o curso foi fundamental é claro, principalmente no começo, no curso a gente aprende as regras gramaticais, como conjugar os verbos, bastante vocabulário, enfim, toda a estrutura da língua. Mas sem prática, sem meter à cara a tapa, o curso se transforma só em passa-tempo.

O post de hoje é sobre como aprender de verdade outro idioma. Não é uma fórmula mágica, é apenas meu relato sobre como eu aprendi Inglês e podem acreditar, tem funcionado muito bem para mim e para todos que adotam meu “método” huahuahauhau!!!

Como o assunto dá pano para manga, vou postar um pouco cada dia. Lá vai:

1ª Parte – Tradutores e Dicionários on line.

Comecei a aprender inglês porque sou fã da Selena, fazia parte de vários grupos sobre ela no Yahoo Grupos e por muitas vezes links com reportagens e novidades sobre ela eram enviados por outros membros, só que em Inglês... Normal né, afinal ela nem é tão conhecida aqui. Só que eu queria ler, mas meu inglês se limitava a uma meia dúzia de palavras que havia aprendido no colégio (Love, apple, you, my, etc...). Como para quem trabalha com TI o inglês é fundamental, decidi juntar o útil ao agradável. Lá fui eu me matricular no curso de Inglês oferecido pela universidade onde eu estudo.

No primeiro e no segundo semestre eu bem que tentava ler as tais notícias sobre a Selena e qualquer outra coisa que aparecia em Inglês. Toda metida me achava o máximo por entender umas cinco ou seis palavras em um parágrafo inteiro. Como não tinha saco para procurar no dicionário todas as outras que eu não entendia, copiava o texto e colava no dicionário on line
Babel Fish para saber logo do que se tratava o tal texto. Era uma esbórnia, pois infelizmente estes tradutores não traduzem sentido.

Quer um exemplo? A palavra
get, ai Zeus, existe uma porrada de traduções para esta palavrinha que me deixava doida no começo, com aquela sensação de que eu nunca iria aprender. Se alguém diz “Get it?” está querendo dizer “Entendeu?”, mas o tradutor traduz como “Comece-o?”. Outra frase muito conhecida do Inglês “He drives me crazy” que quer dizer “Ele me deixa louca” o tradutor traduz “Dirige-me louco”. Dirigir? Pois é, como eu disse, ele não traduz sentido, ou seja, não é um método muito eficiente, mas ajuda bastante quando se está no início. Por falar em eficiência, uma coisa que funciona bem é usar a palavra “get” quando não se sabe o que usar... Me dei conta disto depois de um tempo e muitos amigos que foram para o exterior, me dizem que é tiro e queda. No final, descobri que “get” era meu aliado. Voltando aos tradutores on line... Eles ajudam, só não vale ficar dependente deles. Funciona melhor traduzir do Português para o Inglês. Mas como eu disse o bicho não traduz sentido, então quando perceber que uma palavra não ficou lá estas coisas, melhor recorrer ao dicionário... de papel.

Conforme o tempo vai passando e vai se aprendendo mais a língua, menos se utiliza este tipo de tradutor. Eles começam a servir para traduzir uma única palavra que não se entendeu no texto. Mas aí volta a questão do sentido... Quer outra palavra que tem outra porrada de significas?
Take! Eita palavrinha que me dirige louca.... huahauahuahua... It drives me crazy! Pode-se dizer tanta coisa usando esta palavrinha mágica... Assim como o get!

Falando em dicionário, existem diversos dicionários excelentes na web. Estes já são para quando nosso entendimento da língua está mais avançado, quando queremos a tradução de uma ou outra palavra ou sentido. Um que uso até hoje é o
Ultralingua, com certeza um dos melhores que já utilizei, é uma beleza, traduz sentido e ainda há explicação sobre a palavra, conjuga verbos, mostra por extenso os números... Só que o uso é limitado, óbvio que uma ferramenta destas não iria ser totally free. Of course!

Mas vejam bem, infelizmente estes dicionários funcionam muito bem se a língua for o Inglês, ou seja, para traduzir do Inglês para Português e vice-versa. Na realidade eles traduzem de determinada para o Inglês e de tal língua para o Inglês... Não achei nenhum que traduza do árabe para japonês por exemplo.

Tradutores on line:
Google – Ferramenta de Idiomas
Babel Fish
Clube do Professor
Tradutor Online
World Lingo
Tio Sam

Dicionários:
Ultralingua
Meus Dicionários
OneLook
UOL - Babylon
Ectacto
MSN - Encarta

19 outubro, 2007

DE ONDE VIRÁ O GRITO?

Mais um excelente texto de Arnaldo Jabor, que conseguiu neste traduzir um pouco da nossa alma gaúcha. Sim, chimarrão por aqui não é só “tomar chimarrão” é integração. Viva o povo gaúcho!

DE ONDE VIRÁ O GRITO?

Num texto anterior introduzi o conceito de "Ressentimentos Passivos”. Para relembrar, lá vai um trecho: "Você também é mais um (ou uma) dos que preenchem seu tempo com ressentimentos passivos? Conhece gente assim? Pois é. O Brasil tem milhões de brasileiros que gastam sua energia distribuindo ressentimentos passivos. Olham o escândalo na televisão e exclamam "que horror". Sabem do roubo do político e falam "que vergonha". Vêem a fila de aposentados ao sol e comentam "que absurdo". Assistem a uma quase pornografia no programa dominical de televisão e dizem "que baixaria". Assustam-se com os ataques dos criminosos e choram "que medo". E pronto! Pois acho que precisamos de uma transição "neste país". Do ressentimento passivo à participação ativa".

Pois recentemente estive em Porto Alegre, onde pude apreciar atitudes com as quais não estou acostumado, paulista/paulistano que sou. Um regionalismo que simplesmente não existe na São Paulo que, sendo de todos, não é de ninguém. No Rio Grande do Sul, palestrando num evento do Sindirádio, uma surpresa. Abriram com o Hino Nacional. Todos em pé, cantando. Em seguida, o apresentador anunciou o Hino do Estado do Rio Grande do Sul. Fiquei curioso. Como seria o hino? Começa a tocar e, para minha surpresa, todo mundo cantando a letra! "Como a aurora precursora / do farol da divindade, / foi o vinte de setembro / o precursor da liberdade”.

Em seguida um casal, sentado do meu lado, prepara um chimarrão. Com garrafa de água quente e tudo. E oferece aos que estão em volta. Durante o evento, a cuia passa de mão em mão, até para mim eles oferecem. E eu fico pasmo. Todos colocando a boca na bomba, mesmo pessoas que não se conhecem. Aquilo cria um espírito de comunidade ao qual eu, paulista, não estou acostumado.
Desde que saí de Bauru, nos anos setenta, não sei mais o que é "comunidade". Fiquei imaginando quem é que sabe cantar o hino de São Paulo. Aliás, você sabia que São Paulo tem hino? Pois é... Foi então que me deu um estalo. Sabe como é que os "ressentimentos passivos" se transformarão em participação ativa? De onde virá o grito de "basta" contra os escândalos, a corrupção e o deboche que tomaram conta do Brasil? De São Paulo é que não será. Esse grito exige consciência coletiva, algo que há muito não existe em São Paulo.

Os paulistas perderam a capacidade de mobilização. Não têm mais interesse por sair às ruas contra a corrupção. São Paulo é um grande campo de refugiados, sem personalidade, sem cultura própria, sem "liga"... Cada um por si e o todo que se dane. E isso é até compreensível numa cidade com 12 milhões de habitantes.
Penso que o grito - se vier - só poderá partir das comunidades que ainda têm essa "liga". A mesma que eu vi em Porto Alegre. Algo me diz que mais uma vez os gaúchos é que levantarão a bandeira. Que buscarão em suas raízes a indignação que não se encontra mais em São Paulo.
Que venham, pois. Com orgulho me juntarei a eles.
De minha parte, eu acrescentaria, ainda: “... Sirvam nossas façanhas, de modelo a toda terra...”.

Arnaldo Jabor

17 outubro, 2007

Coisas ou escritos ocultos...

Coisas ou escritos ocultos... Esta é a definição para “Apócrifo”. Estou voltando ao assunto, pois além de interessante me faz ter vários questionamentos... Algumas questões foram respondidas por um grande estudioso do assunto, meu professor de Religião e Humanismo na faculdade. Para muitos é apenas uma cadeira para “encher lingüiça”, para a faculdade tirar dinheiro da gente, já que é obrigatória para todos os cursos, pois é uma universidade católica. Para mim não, para mim é a oportunidade de discutir com alguém que entende do assunto este tipo de questão. É claro que se o cara fosse um tapado com uma visão parcial ou se ficasse tentando me doutrinar, eu nem dava papo para ele. Mas não é o caso aqui, o cara é muito inteligente, imparcial e sabe o que está falando. Tenho aprendido muito com ele e fico embriagada com suas aulas, pois ele apresenta a religião do ponto de vista de um estudioso, de um pesquisador, não de um padre... Embora o seja! Muitas coisas agora fazem sentido para mim, consegui finalmente confirmar que alguns exageros sobre Deus e religião não são verdadeiros.


Bom, voltando aos apócrifos... Fiz algumas dezenas de perguntas ao professor (ele deve ter ficado tonto com tantas perguntas) que me respondeu prontamente. Com suas respostas pude confirmar que a Igreja Católica realmente escolheu os evangelhos de maneira parcial. Não pude confirmar com ele se é verdadeiro o casamento de Jesus e Maria Madalena, embora ele tenha dito que seja bastante provável e me explicado os motivos de não quererem que Jesus fosse visto como um homem comum que tinha namorada, esposa e tudo mais... Ele precisava parecer o mais puro possível e sexo não era algo considerado muito puro naquela época. Especificamente sobre os apócrifos, embora muitos sejam incontestáveis, muitos também são considerados “balelas” por diversos estudiosos... É que muitos não aceitavam o fato de não haver nada relatado (ou pelo menos conhecidamente relatado até aquele momento) sobre a vida de Cristo da infância até seus trintas... Então algumas pessoas começaram a escrever sobre isto, mas muitas vezes sem fundamentação nenhuma, e por muitas vezes coisas absurdas como, por exemplo, a narração que diz que Jesus com seus “poderes” matou um garoto por vingança.

Mas uma vez, tomei conhecimento dos motivos que fizeram a imagem da mulher ser tão degradada na história. Jesus tinha mulheres também como discípulas... Mulheres inteligentes, de atitude, verdadeiras sábias... Mas como mulher sangra todo mês e dá a luz a filhos (mais sangue), eram consideradas impuras, tanto que rituais de purificação eram feitos quando do nascimento de uma criança. Então elas ficavam entre o que é “sagrado e puro” e o que é “impuro”. Como dizer que Jesus, o filho de Deus, andava no meio do “impuro”? Não dava né? Tinham que destorcer tudo... Ainda bem que existem pessoas que trazem a verdade à tona!

Links relacionados:
Wikpedia
Wikbooks
Os apócrifos do antigo testamento

16 outubro, 2007

Datas importantes no combate à violência contra a mulher


Assim como ontem, hoje vou escrever sobre o assunto que me cercou o dia inteiro... A violência contra a mulher. Dando destaque a algumas datas que achei bem interessantes até porque desconhecia algumas...
É impressionante como há violência contra a mulher e pior de tudo, geralmente a violência acontece dentro de casa, por parte daquele que deveria amar e respeitar a mulher. O que dizer sobre os números então? Se mesmo sendo completamente imprecisos já são assustadores, imaginem se fossem precisos? Acontece que ainda há muitas mulheres, talvez a maioria, que não denunciam a violência sofrida, principalmente nas camadas mais pobres. Por medo, por dependência financeira, por vergonha, por ignorância... São tantos os motivos! E há lugares no mundo em que a situação fica bem pior, já que bater em mulheres é um coisa aceitável em diversas culturas, aliás, é uma cultura... Em países como o paquistão, milhares de mulheres são deformadas ou morrem vítimas de ácido... É, ácido? O FDP se acha no direito de atirar ácido em uma mulher e atira... A polícia? Bem, vamos rezar para que a pobre não seja estuprada na delegacia...
Vamos a alguns números:
* Em algum momento de suas vidas, metade das latino-americanas é vítima de alguma violência (Fonte: Unifem, 1999).
* De acordo com a Organização de Saúde, de 85 a 115 milhões de meninas e mulheres são submetidas a alguma forma de mutilação genital por ano, em várias partes do mundo. (ONU, 1999). * Estima-se que pelo menos uma vez ao ano, 50% das mulheres árabes casadas são espancadas por seus maridos e 25%, uma vez a cada seis meses (Control Ciudadano, Instituto Del Tercer Mundo, 1999).
* Em 1993 o Banco Mundial diagnosticou que a pratica de estupro e de violência doméstica são causas significativas de incapacidade e morte de mulheres na idade produtiva, tanto nos países desenvolvidos quanto nos em desenvolvimento.
* No Brasil a cada 4 (quatro) minutos uma mulher é agredida em seu próprio lar, por uma pessoa com quem mantém uma relação de afeto.
* O Banco Mundial estima que uma em cinco mulheres no mundo já foram atacadas física ou sexualmente.
(Fonte:
Mídia Independente)


Um gráfico para ilustrar melhor a situação no nosso país:

Isto tudo é muita chinelagem com as mulheres, eu fico enlouquecida de raiva quando leio, vejo e penso a respeito. Como se tudo isto não bastasse, existem uns retardados que prostituem, desvalorizam e diminuem a imagem da mulher, na realidade acabam com a imagem da mulher, lançando campanhas horríveis, de péssimo gosto como esta aqui abaixo. Que maneira mais canalha de incentivar o abuso às mulheres.

Datas importantes
Em todo o mundo o combate à violência contra a mulher se constituiu em uma preocupação fundamental dos movimentos sociais, a começar pelo movimento de mulheres em meados da década de 1970.Para marcar a importância do tema e mobilizar ações e a atenção da sociedade, são destacadas as seguintes datas relacionadas à violência contra mulheres e meninas:
18 de Maio - Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A Lei nº. 9.970, de 17 de maio de 2000, instituiu o dia 18 de maio como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A finalidade dessa comemoração é sensibilizar e mobilizar a sociedade brasileira.Mais informações com o Cecria - Centro de Referência, Estudos e Ações sobre Crianças e Adolescentes: cecria@cecria.org.br
6 de Junho - Dia da Adoção da Convenção de Belém do ParáEm 6 de junho de 1994 foi aprovada pela Assembléia Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) a Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência Contra a Mulher, conhecida como Convenção de Belém do Pará, que foi ratificada pelo Brasil em 27 de novembro de 1995.
25 de Novembro - Dia Internacional da Não-Violência contra a MulherUm dia para lembrar, protestar e mobilizar contra a violência à mulher.Definido no I Encontro Feminista Latino-Americano e do Caribe, realizado em 1981, em Bogotá, Colômbia, o 25 de Novembro é o Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher. A data foi escolhida para lembrar as irmãs Mirabal (Pátria, Minerva e Maria Teresa), assassinadas pela ditadura de Leônidas Trujillo na República Dominicana. Em 25 de novembro de 1991, foi iniciada a Campanha Mundial pelos Direitos Humanos das Mulheres, sob a coordenação do Centro de Liderança Global da Mulher,que propôs os 16 Dias de Ativismo contra a Violência contra as Mulheres, que começam no 25 de novembro e encerram-se no dia 10 de dezembro, aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, proclamada em 1948. Este período também contempla outras duas datas significativas: o 1o de Dezembro, Dia Mundial da Luta contra a AIDS e o dia 6 de Dezembro, Dia do Massacre de Montreal (leia mais sobre o 6 de Dezembro)Em março de 1999, o 25 de novembro foi reconhecido pelas Nações Unidas (ONU) como o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher.Fonte: Rede Feminista de Saúde, RedeFax, 26/ 2003.
6 de dezembro - Dia do Massacre de MontrealO dia 6 de dezembro ficou conhecido como o dia do Massacre de Montreal em memória das 14 estudantes de engenharia que foram assassinadas em sala de aula, por um homem de 25 anos que deixou um bilhete no qual dizia: “as mulheres são responsáveis pelos fracassos dos homens; toda mulher que cruza o caminho de um homem bem-sucedido deve ser castigada; e as mulheres bem-sucedidas não aceitam ser protegidas por um homem”.As 14 mulheres assassinadas tornaram-se um símbolo, uma representação trágica da injustiça praticada por homens violentos contra as mulheres. Em 1991, o Governo do Canadá proclamou o dia 6 de Dezembro como o Dia Nacional de Lembrança e Ação sobre a Violência contra as Mulheres. Desde então, vários homens e grupos de homens e de mulheres reuniram-se em torno da Campanha do Laço Branco para dizer que nem todos os homens cometem violências contra as mulheres.
10 de dezembro - Dia da Internacional dos Direitos HumanosA data celebra a adoção, em 1948, pela Organização das Nações Unidas (ONU), da Declaração Universal dos Direitos Humanos. A Declaração nasceu em resposta à barbárie praticada pelo nazismo contra judeus, comunistas, ciganos e homossexuais e também às bombas atômicas lançadas pelos Estados Unidos sobre Hiroshima e Nagazaki, matando milhares de inocentes. É a partir dessa Declaração que começa a se desenvolver o Sistema Internacional dos Direitos Humanos mediante a adoção de inúmeros Tratados Internacionais voltados à proteção dos direitos fundamentais. Entre eles a Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Descriminação contra a Mulher CEDAW - adotada pelas Nações Unidas em 18 de dezembro de 1979.
(Fonte:
Portal Violência Contra a Mulher)


Outros links interessantes:

15 outubro, 2007

Justiça para os pais...

Já que este assunto está me cercando hoje, vou escrever sobre ele... Tudo começou com minha leitura diária do blog Síndrome de Estocolmo, que eu visito diariamente. De lá fui parar em outro blog, Mulheres de olho que me levou aos links super interessantes do site Aleitamento. Nossa, depois de ler tudo isto, fui para a visita diária ao fórum Além do Segredo, onde dou de cara com o post de um pai desesperado. Então resolvi escrever sobre o assunto...
Todo mundo sabe que quem mais sofre com a separação dos pais são os filhos, mas este sofrimento pode ser mais intenso quando uma das partes usa a criança para atingir a outra parte. Geralmente são as mães que fazem estes absurdos, eu disse geralmente, não é uma regra. Já vi e ouvi muitas histórias a respeito. Algumas são de dar enjôo, de tapar a cara de nojo, ainda bem que a justiça brasileira neste sentido está mudando, a passos lentos é verdade, mas pelo menos está. Sem contar que em casos de pensão alimentícia, guarda dos filhos e regulamentação de visita a resolução é muito rápida se comparada com os demais tipos de processos.

Para quem não sabe, eu sou mulher, mas vou defender os homens aqui! Sim, homens! Por ter presenciado um situação de abuso por parte da mãe bem de perto e por não concordar com certos absurdos e abuso de poder por parte de mães xexelentas que por pura vaidade, orgulho ferido ou maldade mesmo afastam seus filhos do convívio dos pais.

Lendo alguns artigos nos sites
relacionados, é fácil entender minha revolta e ficar igualmente revoltado. Como pode uma mãe acusar um pai injustamente de abuso sexual? Como pode a justiça proibir um pai de visitar um filho sem ao menos um laudo de um psicólogo ou médico confirmando tal abuso? O que leva uma mulher a usar os filhos para atingir um homem? Que gente doida, será que ninguém pensa nas crianças? Alow!!!! Têm alguém aí? Estou falando das crianças, são elas que mais sofrem com isto. As pessoas não podem ter estes tipos de atitudes, usarem seus próprios filhos para atingir o ex-parceiro... É muita covardia!

Sou completamente contra, tenho dito! Apoio a convivência dos filhos com seus pais, apoio a guarda compartilhada. É claro que existem casos e casos, têm muito cara sacana que de fato deve ficar longe dos filhos. Mas é óbvio que meu apoio não conta para estes.

11 outubro, 2007

De Kepler ao evangelho de Maria Madalena...

Sempre achei que tinha algo de errado com a história, sempre me questionei o motivo de nunca estudar um nome feminino de real destaque nos textos sobre religião, história e filosofia na escola. Acho que Joana d’Arc é o único nome que consigo me lembrar. Só no segundo grau tive um professor que dava aulas de história de verdade, e thank God, ele foi meu professor nos três anos que estudei naquela escola. Ele despertou em mim uma curiosidade, uma sede de aprender e ver além do que é mostrado ainda maior. Seu nome era Kepler, homem de baixa estatura, barbudo, fumante e voz rouca... Como eu o admirava por todo seu conhecimento e sua incrível capacidade de compartilhá-lo com nós... Nós, alunos de uma escola estadual que éramos olhados por muitos professores com tanto desprezo que nem era preciso dizer uma palavra... Sabíamos o que estavam pensando “Nunca vão ser nada nesta vida”. Kepler nunca pensou assim e lamento informar aos demais... Vocês estavam errados. É só olhar para mim e para todos os outros.

Um dia ele me recomendou que lesse o livro “O Mundo de Sofia” que achei meio chato, eu era adolescente, preferia escuta-lo por horas a ler, me dava muito sono qualquer tipo de leitura nesta época. Mas achei muito interessante quando Sofia indaga sobre a participação das mulheres na filosofia... Juntei meus questionamentos e os dela e levei até o mestre... Kepler. Aí ele me explicou aquilo que nenhum outro professo havia explicado... Como a igreja católica havia deturpado o papel da mulher na sociedade, como havíamos chegado a esta calamidade, este desmerecimento, desprezo e profundo desrespeito pela mulher. Foi neste dia que decidi que não me casaria nunca no papel, jamais vou ser propriedade de homem algum... Não sou escrava para receber o nome do meu dono. Fuck it all!

Acabamos por falar de religião e óbvio, sábio como era me falou de Maria Madalena... Fiquei revoltada com a maneira como a Igreja Católica denegriu a imagem desta mulher...

PAUSA: Quero deixar bem clara uma coisa, quando falo em Igreja Católica, assim como meu mestre estou me referindo à Igreja Católica daquela época, não têm nada a ver com a atualidade. A igreja católica atual até já se desculpou por vários episódios cometidos séculos atrás. Que fique claro!


Na real ela não era prostituta como está escrito na bíblia, que teve seus evangelhos cuidadosamente selecionados para passar a mensagem que a Igreja Católica queria e não essencialmente a verdade. Maria Madalena era uma discípula de Jesus, mulher forte e extremamente inteligente. Segundo estudos, ela e Jesus eram casados. Esta afirmação causa muita polêmica, afinal desmente muitas coisas que nos foram ditas ao longo da vida. Quem se importa se Jesus era casado? Para mim não muda em nada seu papel na história da humanidade. Ele continua sendo que é. Jesus é o cara! Guardo com ele com todo amor e carinho no meu coração!

Voltemos à prostituta que não era prostituta droga nenhuma... Ao que tudo indica, tratava-se uma mulher brilhante, cheia de conhecimentos e que por muitas vezes causava até ciúmes nos demais discípulos. No evangelho de Maria Madalena encontramos até passagens sobre a vida após a morte. Contrariando aquilo que a Igreja Católica pega... Um entre tantos motivos para não encontrarmos este evangelho na bíblia.

O que escrevi hoje está fundamento parte no conhecimento que obtive com meu mestre Kepler, que hoje deve estar discutindo e filosofando com figurinhas como Platão em outro plano que este e parte nas minhas incessantes leituras em busca de mais esclarecimentos sobre as verdades que muitas vezes não querem que esteja acessível a todos.

Alguns links relacionados ao assunto:
Saindo do Matrix
Moacir Sader
Opus Dei

10 outubro, 2007

O Evangelho de Tomé

Quem já me conhece sabe que sou uma pessoa espiritualizada. Não freqüento nenhum tipo de religião por muito tempo, embora me interesse por várias, respeito todas e tenho profunda admiração por algumas. Mas me sinto um pouco aprisionada com a idéia de ter que seguir uma religião e seus dogmas. Talvez porque eu seja muito contestadora e não me contente facilmente com respostas prontas, sempre quero mais.

Eu acredito e muito em Deus, não da maneira como a maioria das pessoas, nem vou tentar explicar, mas acredito cegamente que ele está em todos os lugares e também dentro de cada um de nós...

“Eu sou a luz que está acima deles todos. Eu sou o todo: o todo saiu de mim e o todo se reuniu a mim. Rachai uma madeira: eu estou ali. Levantai uma pedra e me achareis".

Segundo o Evangelho de Tomé, isto foi dito por Cristo, há quem conteste este evangelho, principalmente a Igreja Católica (isto não é uma crítica, apenas estou relatando os fatos).

O assunto de hoje é este, o evangelho de Tomé! Para que possamos ter uma outra visão das coisas, uma outra perspectiva... Para surgir questionamentos... Questionamento! Adoro esta palavra... Acho que é porque ela faz parte do meu eu mais profundo!

Leiam aqui o evangelho de Tomé e descubram sua história.


Outros links (Com diversas abordagens e diferentes pontos de vista):

08 outubro, 2007

Além do Segredo...

Sim, este post é sobre “O Segredo”. Tudo bem, eu sei que para muitos isto é bobagem, para outros é um assunto interessante, mas daí colocar em prática é outra estória. Mas para tantos outros é exatamente o segredo revelado. Como já disse, para muitos é bobagem, mas só quem já passou por situações em que o pensamento fez muita diferença consegue entender os motivos de quem quer estar próximo e praticar a lei da atração.

Sou uma pessoa espiritualizada e por tudo que já vi, li e vivi acredito muito na força dos pensamentos. O filme e o livro para mim mostram mais uma maneira de atrair coisas positivas através do pensamento. Sou cética quanto a algumas coisas. Não acredito que determinadas coisas aconteçam só com a força do pensamento, acredito que são necessárias ações e muitos pensamentos/vibrações positivas em cima disto. Aí sim, uma ação foi tomada e esta ação estará cercada de energias... Por exemplo, não adianta eu querer que o telefone toque se o mesmo está desligado, eu preciso primeiro ligar ele, para depois poder ouvi-lo tocar.

Agora, gostaria de convidar a todos para uma visita ao fórum “Além do Segredo”. Se para uns tudo isto é balela, peço a estes que visitem o fórum e vejam quantas mensagens positivas, quanta energia circula por lá e como isto nos afeta positivamente em pouquíssimo tempo! Para quem está precisando de alento para qualquer dor, este é o lugar. Para quem quer saber mais sobre a lei da atração, sejam bem-vindos. Quem é entusiasta da lei da atração ou simplesmente tem bons exemplos para compartilhar, por favor, chegue mais... Todos serão recebidos com muito carinho, eu garanto!

Link para o fórum:
http://www.alemdosegredo.com/forum.php

05 outubro, 2007

Será que sou um E.T?

Ontem conversando com um colega meu (de trabalho e faculdade) vi uma luz brilhando no fim do túnel... É que já faz tempo que eu venho me sentindo fora do grande grupo chamado “sociedade”. Eu explico... Algumas vezes tenho a impressão que a maioria das pessoas está enlouquecendo, ou que no mínimo os valores estão mudando numa velocidade que eu não estou conseguindo acompanhar.

Há certas coisas que eu vejo acontecerem que me revoltam, mas não vejo a mesma indignação na maioria das pessoas... Parece que todo tipo de sacanagem, falta de caráter, chinelagem, falta de respeito, falta de ética e moral é normal. Principalmente quando são os outros o alvo destas mazelas. “Ah, deixa pra lá não é comigo!” ou então “Ah, que coisa né, isto é foda”.

Pára o mundo que eu quero descer... Voltem logo para me buscar, não sou deste planeta. Me ajudem!

Em todas as áreas da vida tenho visto isto acontecer... Vamos aos exemplos... O troco que foi recebido a mais e não foi devolvido. A carteira com o salário do pobre coitado que costuma deixar um telefone de contato dentro da carteira, mas mesmo assim não a teve de volta. Aquela promoção que aconteceu não por competência, mas porque a putinha dormia com o chefe ou é filha de não sei quem. Os políticos... Preciso falar? O médico que nem te olha na cara e te receita um remédio. A enfermeira que deixa as crianças sozinhas no berçário após negligentemente ter dado mamadeira e não ter feito a criança arrotar, deixando ela de barriga para cima e sozinha, fazendo com que ela vomitasse, aspirasse o vômito e morresse sufocada “Foda-se ela, não é nada minha”, deve ter sido isto que a vaca pensou. Os médicos canalhas que chegam gritando apavorados na sala de procedimentos dizendo “Tira tudo que este é do SUS”. A incompetente que é amiga do gerente e então se sente no direito de assediar moralmente a colega e fazer tudo que pode até a colega em questão perder o emprego. Os pais canalhas que se sentem no direito de molestar seus filhos. As mães sarnentas que espacam seus filhos até a morte. As vadias que dão em cima dos caras casados. Os caras casados que vão pra festa com a mulher e se escondem num canto para ficar com uma putinha qualquer. O cara que se sentiu no direito de atirar no outro só porque este olhou para sua namorada. O imbecil que atropela uma criança e tem a cara de pau de dizer que achou que era um animal, por isto não parou. O celular que o cretino viu cair no chão, a dona ta sentada bem na sua frente mas ele não é capaz de avisar... Impostos abusivos, taxas abusivas, falta de respeito com o cidadão. Ai, socorro!!!

Meu, eu não agüento mais tudo isto. Mas quando olho para os lados, vejo tanta gente compactuando com toda esta MERDA que eu começo a me sentir diferente. Um E.T pra ser mais exata. Todo mundo quer levar vantagem, ninguém se importa com a dor alheia, ninguém sabe o que é compaixão, imagina então praticá-la. Isto me revolta.

Mas ontem, percebi que não estou sozinha... Até que enfim! Obrigada Senhor, eu não estou só, não sou só eu que sinto indignação ao presenciar determinadas coisas. E descobri que existem sim, muitas outras pessoas que pensam como nós. Já estava começando a ficar desesperada. Pensei até em criar uma nova ordem. O Walmyr até me indicou um livro “Profecia Celestina”, começo hoje a leitura. Volta para casa Meri, tu não é um E.T. ;-)

04 outubro, 2007

Mais música... E de boa qualidade!



Viram este rosto aí em cima? Um homem pra lá de comum né? Pois, ele ganhava a vida vendendo celulares... Mais comum impossível certo? Pois é, isto é o que muitos pensam... Até ele abrir a boca e começar a cantar... Aí vem aquele arrepio pelo corpo, a respiração fica até difícil... Mas difícil ainda conseguir controlar a emoção, é sim de arrepiar! Como diz a mocinha do vídeo, é um pedaço de carvão que se tornará um diamante, ou melhor, já se tornou! Estou falando de Paul Potts... Bom, vamos ao vídeo que fala por si só...


Ops... Deu problema na hora de carregar o vídeo, então aí vai o link no youtube.com


Comments: Paul Potts nasceu em 1970 em Bristol, Inglaterra, e até há pouco ganhava a vida vendendo telefones celulares. No último dia 9 de junho, ele apareceu no programa Britain’s Got Talent, uma espécie de show de talentos britânico, com a participação do tirânico Simon Cowell (American Idol) no júri. O vídeo, disponível no YouTube em uma versão especialmente editada para o público lusófono (http://www.youtube.com/watch?v=AnpiMK8mahU ), diz tudo. Potts, tímido e dono de uma fisionomia não muito impressionante, arranca sorrisos irônicos ao dizer que nasceu para cantar ópera. Então, ele começa a cantar a ária Nessun Dorma (Que Ninguém Durma), de Puccini, e passa a arrancar aplausos, lágrimas e olhares surpresos.
(Fonte: Administradores).

03 outubro, 2007

Pit Baccardi... O Anjo negro da multidões!

Ando meio musical por estes dias... Por isto resolvi trazer mais um grande cantor para apresentar, ele se chama Pit Baccardi! Escutei a música dele pela primeira vez há alguns anos, estava trabalhando num domingo, eram umas 3 horas da tarde, o cara do Anonymus Gourmet tava passando uma receita de um doce que ia abacaxi... Não lembro bem o que era, queria era escutar música e aquela era a estação que o dono do rádio tinha deixado... Finalmente música... E como me chamou a atenção aquela voz, aquela batida... Caí no amor na hora, liguei para a rádio e pedi o nome da música e do cidadão que cantava... Aqui está ele:
Nascido em 1978 em Yaounde (Camarões), seu nome verdadeiro é Guillaume Me Goumou. Após diversas idas e vindas entre Camarões e França, finalmente se instalou na França. Sua vida não foi nada fácil, se meteu em grandes confusões, ficou órfão... Até que decidiu se dedicar à música. Começou no grupo "Districts Is", mas em 1996 conheceu "Oxmo Puccino" e o integrates do grupo "Time Bomb" passando a fazer parte do grupo.




Separam-se em 1998, então Pit se junta com Jacky e Ben-J, juntos fazem sons que fez muito sucesso como "On Fait Les Choses". Um ano depois é lançado o primeiro álbum "Ghetto ambiancor". Com muita dedicação Pit chega em 2002 ao álbum "Le Poids des Maux", agora um pouco mais comercial, mas bem diversificado, inclusive com batidas mais leves como "Si Loin de Toi" que em minha opinião é a melhor música dele. Após isto, Pit é consagrado nas paradas francesas, se mantendo até hoje no topo. É conhecido na Europa como "O anjo negro das multidões", pois sua música faz apologia ao amor, não a violência, como tantos costumam fazer.

Abaixo alguns links para algumas músicas do Pit... Aqui o refrão da música "Si loin de toi" que ele fez em homenagem à mãe dele:

Si loin de toi je suis si seul
(Longe de você me sinto sozinho)
Tu me manques
(Sinto sua falta)
Si loin de toi je suis si seul
(Longe de você me sinto sozinho)
Tu me manques maman
(Sinto sua falta mãe)

Si loin de toi
On fait les choses
On lâchera pas l’affaire
Si J’étais

01 outubro, 2007

Billie Holiday - A lenda do Jazz

Billie Holiday... Ok, quem me conhece sabe que não é por querer, mas eu sempre acabo me apaixonando por artistas que já morreram. Eu juro que eu só fico sabendo depois. Foi assim com a Selena, quase enfartai chorando no fim do filme, não podia acreditar que acabara de descobrir que quem cantava aquela música linda (I could fall in love) infelizmente estava morta. Assim foi com a Aallyah e Israel Kamakawiwo`ole entre tantos outros. Sem contar os que morreram depois de eu virar fã, como 2Pac e Lisa Left Eye... Ah Zeus!

Buenas,vamos falar da Billie ou Lay Day... Nossa esta mulher maravilhosa, com esta voz que deixa qualquer um embriagado era considerada a Rainha do Jazz nos anos 50. Tá,tudo bem, quem sou eu para falar de Jazz? Mas é que ela impressiona mesmo! Achei ela por acaso, investiguei (como sempre) e me encantei... Ela até parece uma amiga minha muito querida, a Cíntia.

Lady Day tem uma história de vida muito triste e sofrida... Seus pais eram adolescentes quando ela nasceu, cresceu meio que largada no mundo, foi estuprada, prostituída e se envolvei com drogas ainda na adolescência. Casou com um cara sancana, baita falcatrua. Era melancólica e por tudo que li posso dizer que ela não tinha a menor noção do quanto era “Diva”. Cantava como ninguém e cantava mesmo, tão diferente dos lixões que temos que escutar hoje, tanto vindos de lá como os daqui... Aliás, esta é uma frase sua “"Já me disseram que ninguém canta a palavra ´fome´ como eu. Ou a palavra ´amor´. Talvez seja porque eu me lembre do significado dessas palavras"”.

Billie cantava com a alma... Infelizmente seu corpo foi consumido pelo excesso de cigarros e bebida, morreu jovem, aos 44 anos de idade. Acho que ela nem imagina o legado que deixou...


Alguns links interessantes:
Site Oficial
Notícia
Wikipedia
Fan Site