Merielen

16 março, 2010

O coração

Mais um texto recebido por e-mail, enviado por outra amiga... Obrigada Vivi!


Achei bem bacana e decidi compartilhar. Óbvio que fui procurar mais coisas do cara, afinal ele é o criador de "O Pequeno Príncipe"... Quem nunca leu? Não descobri muito mais do que eu já sabia, mas descobri um site bem tri também (http://www.pensador.info/autor/Antoine_de_Saint-Exupery/) com frases, textos e pensamentos de Saint-Exupery. Vale o clique.





Você se lembra daquela tocante história do livro "O Pequeno Príncipe"?


Bom, existe uma história mais tocante ainda que aconteceu de fato com o criador do Pequeno Príncipe, o escritor francês Antoine de St. Exupéry.
Poucas pessoas sabem que ele lutou na Guerra Civil Espanhola, quando foi capturado pelo inimigo e levado ao cárcere para ser executado no dia seguinte. Nervoso, ele procurou em sua bolsa um cigarro, e achou um, mas suas mãos estavam tremendo tanto que ele não podia nem mesmo levá-lo à boca. Procurou fósforos, mas não tinha, porque os soldados haviam tirado todos os fósforos de sua bolsa. E le olhou então para o carcereiro e disse: "Por favor, usted tiene fosforo?".


O carcereiro olhou para ele e chegou perto para acender seu cigarro. Naquela fração de segundo, seus olhos se encontraram, e St. Exupéry sorriu. Depois ele disse que não sabia por que sorriu, mas pode ser que quando se chega perto de outro ser humano seja difícil não sorrir. Naquele instante, uma chama pulou no espaço entre o coração dos dois homens e gerou um sorriso no rosto do carcereiro também. Ele acendeu o cigarro de St. Exupéry e ficou perto, olhando diretamente em seus olhos, e continuou sorrindo. St. Exupéry também continuou sorrindo para ele, vendo-o agora como pessoa, e não como carcereiro.


Parece que o carcereiro também começou a olhar St. Exupéry como pessoa, porque lhe perguntou: "Você tem filhos?". "Sim", St. Exupéry respondeu, e tirou da bolsa fotos de seus filhos. O carcereiro mostrou fotos de seus filhos também, e contou todos os seus planos e esperanças para o futuro deles. Os olhos de St. Exupéry se encheram de lágrimas quando disse que não tinha mais planos, porque ele jamais os veria de novo. Os olhos do carcereiro se encheram de lágrimas também. E de repente, sem nenhuma palavra, ele abriu a cela e guiou St. Exupéry para fora do cárcere, através das sinuosas ruas, para fora da cidade, e o libertou. Sem nenhuma palavra, o carcereiro deu meia-volta e retornou por onde veio. St. Exupéry disse: "Minha vida foi salva por um sorriso do coração".


O que foi aquela "chama" que pulou entre o coração desses dois homens? Isso tem sido tema de intensa pesquisa atualmente, na medida em que os cientistas estão se dando conta de que o coração não é meramente uma bomba mecânica, mas um sofisticado sistema para receber e processar informações. De fato, o coração envia mais mensagens ao cérebro que o cérebro envia ao coração! Como disse o filósofo francês Blaise Pascal: "O coração tem razões que a própria razão desconhece".


Estados emocionais negativos, como raiva ou frustração geram ondas eletromagnéticas totalmente caóticas do coração, como se estivéssemos pisando no acelerador e no breque simultaneamente. Esse estado de batimentos desordenados é chamado de "incoerência cardíaca" e está ligado à doença cardíaca, envelhecimento precoce, câncer e morte prematura.


Em estados de amor ou gratidão nosso batimento cardíaco torna-se "coerente". Isso diminui a secreção dos hormônios do estresse, reduz a depressão, hipertensão e insônia, melhora o sistema imune e aumenta a clareza mental. Essa é uma das razões pelas quais tem sido provado que as emoções positivas estão associadas à boa saúde física e mental e à longevidade. Essa irradiação coerente do coração - essa "chama" de genuína afeição pode afetar pessoas a uma distância de até 5 metros!


Logo, na próxima vez em que você estiver numa situação difícil, respire profundamente, lembre-se de St. Exupéry e do Pequeno Príncipe e irradie a energia de seu coração.


Como o Pequeno Príncipe nos ensinou, "somente com o coração podemos ver com clareza".... 

11 março, 2010

Cada vez fica mais difícil...


Recebi o texto abaixo através de e-mail, enviado por uma amiga... É para ser engraçado, mas infelizmente retrata uma dura realidade que pais (leia-se pais e mães) têm que enfrentar cada vez mais na atualidade, mostrar aos filhos o que é correto (ser íntegro, honesto, direito, ter caráter, ser justo, não quere levar vantagem em tudo, etc.) quando tudo a sua volta te mostra que ser desonesto e canalha é mais vantajoso. Árdua missão!



Vida de pai (e mãe) está cada vez mais difícil. Uma simples conversa com o filho pequeno pode gerar perplexidade.

O diálogo de João Pedro com seu filho, de 10 anos, pode servir como prova desse fosso entre as gerações.

- Que você vai ser quando crescer, filho?

- Presidente da República, pai.

- Puxa, filho, que legal. Mas por quê?

- Pra não precisar estudar.

- Não, filho, não é bem assim. Precisa estudar muito.

- Então quero ser vice-presidente.

- Vice, filho? Por quê?

- Pra não precisar estudar. O José de Alencar também só foi até a quinta série primária. Já posso parar.

- Não é assim, filho. Ele trabalhou muito e aprendeu.

- Pai, todo mundo que se dá bem não estudou: o presidente, o vice, a Xuxa, o Kaká, o Zeca Pagodinho...

- É que eles têm um talento...

- Ah, entendi, estudar é para quem não tem talento?

- Não, filho, pelo amor de Deus. Artista é diferente.

- O presidente e o vice não são artistas.

- Não, quer dizer, o presidente, de certo modo, até é.

- Se eu estudar, vou ganhar mais do que o Kaká?

- Menos.

- Ah, é? Então quero ir já para a escolinha.

- Você já está numa boa escola, filho.

- Quero ir pra escolinha de futebol.

- Não, filho, você precisa estudar muito. A escola abre caminhos para as pessoas. Pode se viver dignamente. Filho, você precisa ter bons valores. Pense numa profissão, numa coisa honesta e que seja respeitada. Não quer ser médico, dentista ou, sei lá, engenheiro?

- Não. De jeito nenhum. To fora, pai!

- Mas por que, filho?

- Eles nunca vão ao Faustão.

- Isso não tem importância, filho. Que tal bombeiro?

- Vou querer ser astronauta ou jornalista.

- Hummm... Jornalista? Por que mesmo, filho?

- Não precisa mais ter diploma pra ser jornalista. Mas... Pensando melhor, acho que vou querer ser corrupto.

- Meu Deus, filho, não diga isso nem de brincadeira!

- Na TV disseram que ninguém se dá mal por causa da corrupção e que tudo sempre termina em pizza. Adoro pizza. Quando for corrupto, pedirei só de quatro queijos.

- Ser corrupto é muito feio, meu filho.

- Ué, pai, se é feio assim, por que Brasília está cheia deles e quase todos conseguem ser reeleitos?

- É complicado de explicar, filho. Mas isso vai mudar.

- Quero ser corrupto e praticar nepotismo.

- Cale a boca, filho, de onde tira essas barbaridades?

- É só olhar a televisão, pai. O Sarney pratica nepotismo e é presidente do Senado. Ninguém pode mexer com ele.

- Mas você sabe o que é nepotismo, filho?

- Sei. É empregar os parentes da gente.

- E você quer fazer isso?

- Claro. Assim ia acabar com os vagabundos da família. Se eu te arrumar um emprego você deixa?

08 março, 2010

Estudo liga infidelidade masculina a QI mais baixo


Homens que traem as esposas e namoradas tendem a ter QI mais baixo e ser menos inteligentes, segundo um estudo publicado na revista especializada Social Psychology Quarterly. (Capaz? Isto eu já sabia)
De acordo com o autor do estudo, o especialista em psicologia evolutiva da London School of Economics, Satoshi Kanazawa, "homens inteligentes estão mais propensos a valorizar a exclusividade sexual do que homens menos inteligentes". (Normal! Pode ver, os homens que traem suas parceiras são tão retardados e usam desculpas tão idiotas para justificar. Por exemplo: “É coisa de homem”, “É da natureza masculina”, “Foi fraqueza”... Nunca ouvi um admitir: “Traí porque sou um canalha”. É óbvio que não to falando das mim... Veja, os amigos contam para as amigas mulheres que traíram, os nossos pares não contam, eles negam até o final...Óbvio!)
Kanazawa analisou duas grandes pesquisas americanas a National Longitudinal Study of Adolescent Health e a General Social Surveys, que mediam atitudes sociais e QI de milhares de adolescentes e adultos.
Ao cruzar os dados das duas pesquisas, o autor concluiu que as pessoas que acreditam na importância da fidelidade sexual para uma relação demonstraram QI mais alto. (Me conta uma novidade! Ainda bem que agora existem dados científicos para comprovar o que eu sempre defendi... Adoro quando isto acontece! Um monte de gente me chama de louca e diz que to viajando... Aí quando menos se espera aparece uma pesquisa científica para comprovar as minhas teorias... Odeio estar sempre certa... Hauhauahuahau!!! To brincando né! Ainda não surgiram dados científicos para provar todas as minhas teorias.)
De acordo com o estudo, o ateísmo e o liberalismo político também são características de homens mais inteligentes. (Esta eu não sabia.)
Evolução
Kanazawa foi mais longe e disse que outra conclusão do estudo é que o comportamento "fiel" do homem mais inteligente seria um sinal da evolução da espécie. (Sem sombra de dúvidas)
Sua teoria é baseada no conceito de que, ao longo da história evolucionária, os homens sempre foram "relativamente polígamos", e que isso está mudando. (Oba, isto é bom para as mulheres e bom para os homens também. A maioria – que eu conheço pelo menos – que não traem suas parceiras sente-se gratificados por “resistirem” à tentação... É o que eles dizem)
Para Kanazawa, assumir uma relação de exclusividade sexual teria se tornado então uma "novidade evolucionária" e pessoas mais inteligentes estariam mais inclinadas a adotar novas práticas em termos evolucionários - ou seja, a se tornar "mais evoluídas". (Continuem evoluindo rapazes!)
Para o autor, isso se deve ao fato de pessoas mais inteligentes serem mais "abertas" a novas ideias e questionarem mais os dogmas. (Adoro questionamentos, amo!)
Mas segundo Kanazawa, a exclusividade sexual não significa maior QI entre as mulheres, já que elas sempre foram relativamente monogâmicas e isso não representaria uma evolução. (Ou seja, sempre fomos mais inteligentes! Veja bem, a maioria, porque o que tem de mulher que ta lá atrás na evolução... Eu vou te contar).
Fonte: http://noticias.br.msn.com/mundo/artigo-bbc.aspx?cp-documentid=23551431
Matéria (em preto).
Meus comentários (Em vermelho).