Merielen

16 outubro, 2007

Datas importantes no combate à violência contra a mulher


Assim como ontem, hoje vou escrever sobre o assunto que me cercou o dia inteiro... A violência contra a mulher. Dando destaque a algumas datas que achei bem interessantes até porque desconhecia algumas...
É impressionante como há violência contra a mulher e pior de tudo, geralmente a violência acontece dentro de casa, por parte daquele que deveria amar e respeitar a mulher. O que dizer sobre os números então? Se mesmo sendo completamente imprecisos já são assustadores, imaginem se fossem precisos? Acontece que ainda há muitas mulheres, talvez a maioria, que não denunciam a violência sofrida, principalmente nas camadas mais pobres. Por medo, por dependência financeira, por vergonha, por ignorância... São tantos os motivos! E há lugares no mundo em que a situação fica bem pior, já que bater em mulheres é um coisa aceitável em diversas culturas, aliás, é uma cultura... Em países como o paquistão, milhares de mulheres são deformadas ou morrem vítimas de ácido... É, ácido? O FDP se acha no direito de atirar ácido em uma mulher e atira... A polícia? Bem, vamos rezar para que a pobre não seja estuprada na delegacia...
Vamos a alguns números:
* Em algum momento de suas vidas, metade das latino-americanas é vítima de alguma violência (Fonte: Unifem, 1999).
* De acordo com a Organização de Saúde, de 85 a 115 milhões de meninas e mulheres são submetidas a alguma forma de mutilação genital por ano, em várias partes do mundo. (ONU, 1999). * Estima-se que pelo menos uma vez ao ano, 50% das mulheres árabes casadas são espancadas por seus maridos e 25%, uma vez a cada seis meses (Control Ciudadano, Instituto Del Tercer Mundo, 1999).
* Em 1993 o Banco Mundial diagnosticou que a pratica de estupro e de violência doméstica são causas significativas de incapacidade e morte de mulheres na idade produtiva, tanto nos países desenvolvidos quanto nos em desenvolvimento.
* No Brasil a cada 4 (quatro) minutos uma mulher é agredida em seu próprio lar, por uma pessoa com quem mantém uma relação de afeto.
* O Banco Mundial estima que uma em cinco mulheres no mundo já foram atacadas física ou sexualmente.
(Fonte:
Mídia Independente)


Um gráfico para ilustrar melhor a situação no nosso país:

Isto tudo é muita chinelagem com as mulheres, eu fico enlouquecida de raiva quando leio, vejo e penso a respeito. Como se tudo isto não bastasse, existem uns retardados que prostituem, desvalorizam e diminuem a imagem da mulher, na realidade acabam com a imagem da mulher, lançando campanhas horríveis, de péssimo gosto como esta aqui abaixo. Que maneira mais canalha de incentivar o abuso às mulheres.

Datas importantes
Em todo o mundo o combate à violência contra a mulher se constituiu em uma preocupação fundamental dos movimentos sociais, a começar pelo movimento de mulheres em meados da década de 1970.Para marcar a importância do tema e mobilizar ações e a atenção da sociedade, são destacadas as seguintes datas relacionadas à violência contra mulheres e meninas:
18 de Maio - Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A Lei nº. 9.970, de 17 de maio de 2000, instituiu o dia 18 de maio como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A finalidade dessa comemoração é sensibilizar e mobilizar a sociedade brasileira.Mais informações com o Cecria - Centro de Referência, Estudos e Ações sobre Crianças e Adolescentes: cecria@cecria.org.br
6 de Junho - Dia da Adoção da Convenção de Belém do ParáEm 6 de junho de 1994 foi aprovada pela Assembléia Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) a Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência Contra a Mulher, conhecida como Convenção de Belém do Pará, que foi ratificada pelo Brasil em 27 de novembro de 1995.
25 de Novembro - Dia Internacional da Não-Violência contra a MulherUm dia para lembrar, protestar e mobilizar contra a violência à mulher.Definido no I Encontro Feminista Latino-Americano e do Caribe, realizado em 1981, em Bogotá, Colômbia, o 25 de Novembro é o Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher. A data foi escolhida para lembrar as irmãs Mirabal (Pátria, Minerva e Maria Teresa), assassinadas pela ditadura de Leônidas Trujillo na República Dominicana. Em 25 de novembro de 1991, foi iniciada a Campanha Mundial pelos Direitos Humanos das Mulheres, sob a coordenação do Centro de Liderança Global da Mulher,que propôs os 16 Dias de Ativismo contra a Violência contra as Mulheres, que começam no 25 de novembro e encerram-se no dia 10 de dezembro, aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, proclamada em 1948. Este período também contempla outras duas datas significativas: o 1o de Dezembro, Dia Mundial da Luta contra a AIDS e o dia 6 de Dezembro, Dia do Massacre de Montreal (leia mais sobre o 6 de Dezembro)Em março de 1999, o 25 de novembro foi reconhecido pelas Nações Unidas (ONU) como o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher.Fonte: Rede Feminista de Saúde, RedeFax, 26/ 2003.
6 de dezembro - Dia do Massacre de MontrealO dia 6 de dezembro ficou conhecido como o dia do Massacre de Montreal em memória das 14 estudantes de engenharia que foram assassinadas em sala de aula, por um homem de 25 anos que deixou um bilhete no qual dizia: “as mulheres são responsáveis pelos fracassos dos homens; toda mulher que cruza o caminho de um homem bem-sucedido deve ser castigada; e as mulheres bem-sucedidas não aceitam ser protegidas por um homem”.As 14 mulheres assassinadas tornaram-se um símbolo, uma representação trágica da injustiça praticada por homens violentos contra as mulheres. Em 1991, o Governo do Canadá proclamou o dia 6 de Dezembro como o Dia Nacional de Lembrança e Ação sobre a Violência contra as Mulheres. Desde então, vários homens e grupos de homens e de mulheres reuniram-se em torno da Campanha do Laço Branco para dizer que nem todos os homens cometem violências contra as mulheres.
10 de dezembro - Dia da Internacional dos Direitos HumanosA data celebra a adoção, em 1948, pela Organização das Nações Unidas (ONU), da Declaração Universal dos Direitos Humanos. A Declaração nasceu em resposta à barbárie praticada pelo nazismo contra judeus, comunistas, ciganos e homossexuais e também às bombas atômicas lançadas pelos Estados Unidos sobre Hiroshima e Nagazaki, matando milhares de inocentes. É a partir dessa Declaração que começa a se desenvolver o Sistema Internacional dos Direitos Humanos mediante a adoção de inúmeros Tratados Internacionais voltados à proteção dos direitos fundamentais. Entre eles a Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Descriminação contra a Mulher CEDAW - adotada pelas Nações Unidas em 18 de dezembro de 1979.
(Fonte:
Portal Violência Contra a Mulher)


Outros links interessantes:

2 comentários:

Mari disse...

seu conteúdo está de parabéns, nós mulhres merecemos respeito e devemos lutar por esta causa.
@@@congratulações@@@

pepina disse...

Adorei sua matéria
está ajudando muito na minha matéria escolar.Tenho apenas 17 anos e sou a favor da lei de combater à violencia contra mulheres.
Está de parabéns, continue assim

Tatiane R.J.